Mudanças entre as edições de "Terminal de Comandos - Shell Linux"

De Pontão Nós Digitais
Linha 104: Linha 104:
  
 
<tr>
 
<tr>
  <td></td>
+
  <td>[[imagem:Sistema-icon.png|40px]]</td>
 
  <td>
 
  <td>
 
'''cd''' – o comando '''cd''' muda o atual diretório de uso do prompt de comandos. Ele é usado da seguinte forma: <br><br>
 
'''cd''' – o comando '''cd''' muda o atual diretório de uso do prompt de comandos. Ele é usado da seguinte forma: <br><br>
#cd + /nome_do_diretório
+
# cd + /nome_do_diretório
 
  </td>
 
  </td>
 
  <td>
 
  <td>
Linha 118: Linha 118:
 
  root@debian-servidor:/etc/init.d#  
 
  root@debian-servidor:/etc/init.d#  
  
'''obs:''' note que ao ir do diretório raiz '''/''' para o diretório '''/home''' não foi necessário colocar a barra na frente do nome '''home'''. Entretanto para ir do diretório '''/home''' para o diretório '''/etc/init.d''' foi necessário colocar barra '''/''' antes do caminho do diretório '''etc/init.d'''. Isto ocorre porque toda vez que se quer ir para um diretório que está dentro do diretório atual do '''prompt''' não é necessário colocar a barra antes do nome do primeiro diretório.  
+
'''obs:''' note que para ir do diretório raiz '''/''' ao diretório '''/home''' não foi necessário colocar a barra em frente ao nome '''home'''. Entretanto para ir do diretório '''/home''' ao diretório '''/etc/init.d''' foi necessário colocar barra '''/''' antes do caminho do diretório '''etc/init.d'''. Por que isso ocorre? Bem, isto acontece porque toda vez que se quer ir para um diretório localizado dentro do diretório atual do '''prompt''' não é necessário colocar a barra antes do nome do primeiro diretório.  
 
  </td>
 
  </td>
 
</tr>
 
</tr>
  
 
<tr>
 
<tr>
  <td></td>
+
  <td>[[Imagem:Usuario-e-grupos.png|40px]]</td>
  <td></td>
+
  <td>
  <td></td>
+
'''chfn''' – o comando '''chfn''' muda as informações de qualquer usuário. Para usá-lo, basta digitar:
 +
 
 +
# '''chfn [nome_do_usuário]'''
 +
 
 +
Opções:
 +
# '''chfn [opção] [nome_do_usuário]'''
 +
 
 +
'''-f''' = muda o nome completo do usuário;<br>
 +
'''-r''' = muda o número da sala do usuário;<br>
 +
'''-w''' = altera o número de telefone de trabalho do usuário; <br>
 +
'''-h''' = altera o número de telefone residencial do usuário;<br>
 +
'''-o''' = altera o outro possível contato telefônico do usuário.<br>
 +
</td>
 +
  <td>
 +
root@debian-servidor:/etc/init.d# '''chfn jose'''
 +
Modificando as informações de usuário para jose
 +
Informe o novo valor ou pressione ENTER para aceitar o padrão
 +
        Nome Completo [jose]: '''José da Silva Sauro'''
 +
        Número da Sala []: '''Sala 2'''
 +
        Fone de Trabalho []: '''(11) 2424-2424'''
 +
        Fone Doméstico []: '''(11) 2323-2323'''
 +
        Outro []: '''(11) 9988-9988'''
 +
root@debian-servidor:/etc/init.d#
 +
</td>
 
</tr>
 
</tr>
  
 
<tr>
 
<tr>
  <td></td>
+
  <td>[[imagem:Sistema-icon.png|40px]]</td>
  <td></td>
+
  <td>
  <td></td>
+
'''chmod''' – o comando '''chmod''' altera permissões de diretórios e de arquivos.
 +
Existe três principais tipos de permissão que um arquivo pode ter. (1) Permissão de leitura, (2) permissão de escrita e (3) permissão de execução.
 +
<br>
 +
Existem também três concessões de permissão. (1) Permissão ao usuário criador do arquivo, (2) permissão do grupo ao qual pertence aquele arquivo e (3) permissão a todos os demais usuários.
 +
<br>
 +
Para usá-lo com seus atributos é possível usar tanto letras como o modo numérico-octal para permissões. O modo octal usa números de 0 (zero) a 7 (sete). O modo alfabético usa letras para designar as permissões, sendo 'r' leitura, do Inglês 'read', 'w' gravação - do Inglês 'write' e 'x'  - do Inglês 'execute'.
 +
<br>
 +
O comando é composto por:
 +
 
 +
'''chmod [atributos] [nome_do_arquivo]'''
 +
 
 +
Atributos do modo octal:<br>
 +
Para arquivos (-)<br>
 +
'''0''' - (zero) permissão negada<br>
 +
'''1''' - permissão de execução<br>
 +
'''2''' - permissão de gravação<br>
 +
'''3''' - permissão de gravação e execução<br>
 +
'''4''' - permissão de leitura<br>
 +
'''5''' - permissão de leitura e execução<br>
 +
'''6''' - permissão de leitura e gravação<br>
 +
'''7''' - soma de todas as permissões<br>
 +
<br>
 +
Para diretórios (d)<br>
 +
'''0''' - (zero) permissão negada<br>
 +
'''1''' - permissão para entrar no diretório<br>
 +
'''2''' - permissão para gravar dentro do diretório<br>
 +
'''3''' - permissão de entrar e gravar no diretório<br>
 +
'''4''' - permissão para listar o conteúdo do diretório<br>
 +
'''5''' - permissão de listar e entrar no diretório<br>
 +
'''6''' - permissão de listar e gravar no diretório<br>
 +
'''7''' - soma de todas as permissões
 +
 
 +
</td>
 +
  <td>
 +
Antes de testar o comando '''chmod''', criamos um arquivo de texto chamado '''teste.txt''' na pasta '''/home/nosdigitais'''. Com o comando '''ls -l''' podemos observar as primeiras letras que indicam quais são as permissões concedidas a esse arquivo no ato de sua criação.
 +
 
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# '''ls -l'''
 +
<u>-rw-r--r--</u> 1 root        root  0 Ago  9 01:17 teste.txt
 +
 
 +
Este arquivo possui então permissão de leitura, indicado pela letra '''r''', e permissões de escrita, indicado pela letra '''w''', ao usuário criador do arquivo (-'''rw'''-r--r--). E possui permissão de leitura aos integrantes do grupo ao qual pertence o arquivo (-rw-'''r'''--r--) e a mesma permissão aos demais usuários do sistema (-rw-r--'''r'''--). Vamos modificar essas permissões, deixando o arquivo com permissão total a todos os usuários do sistema.
 +
 
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# '''chmod 777 teste.txt'''
 +
 
 +
Vejamos como ficaram as permissões:
 +
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# '''ls -l'''
 +
<u>-rwxrwxrwx</u> 1 root        root  65 Ago  9 01:17 teste.txt
 +
 
 +
Note que a linha que demonstra os atuais atributos do aquivo '''teste.txt''' contém um pequeno traço '''-''' no início para indicar que se trata de um arquivo e não de um diretório. Logo em seguida, há um conjunto de nove letras, sequencialmente dispostas.
 +
- rwx rwx rwx
 +
Isto significa que todas as concessões de permissão foram concedidas a todos os usuários do sistema.<br> <br>
 +
A permissão de leitura '''r''', a permissão de escrita '''w''' e a permissão de execução '''x''' foram concedidas ao criador do arquivo, ao grupo do arquivo e a todos os demais usuários do sistema.
 +
<br><br>
 +
Vamos mudar novamente as permissões deste arquivo, desta vez usando as letras ao invés dos números, dando permissão apenas de leitura a todos os usuários.
 +
 
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# '''chmod ugo-x teste.txt'''
 +
 
 +
Veja como ficaram as permissões do arquivo:
 +
 
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# '''ls -l'''
 +
---x--x--x 1 root        root    65 Ago  9 01:17 teste.txt
 +
</td>
 +
 
 
</tr>
 
</tr>
  
 
<tr>
 
<tr>
  <td></td>
+
  <td>[[imagem:Terminal.png|40px]] </td>
  <td></td>
+
  <td>
  <td></td>
+
'''clear''' – o comando '''clear''' limpa a tela do terminal de comandos.
 +
</td>
 +
  <td>
 +
Ao usar o comando clear todas as mensagens escritas da tela do terminal são apagadas, ficando a tela do terminal limpa. Este comando não apaga nenhum arquivo, nenhum texto, ele apenas limpa a tela do terminal para melhorar a visualização. Veja o antes e o depois. Antes:
 +
 +
---x--x--x 1 root  root    0 Ago  9 01:17 teste.txt
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# oot@debian-servidor:/home/nosdigitais# cat 
 +
/etc/apt/sources.list
 +
bash: oot@debian-servidor:/home/nosdigitais#: Arquivo ou diretório não encontrado
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# # Midia
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# oot@debian-servidor:/home/nosdigitais# cat
 +
/etc/apt/sources.list
 +
bash: oot@debian-servidor:/home/nosdigitais#: Arquivo ou diretório não encontrado
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# exit
 +
exit
 +
nosdigitais@debian-servidor:~$ '''clear'''
 +
 
 +
Depois:
 +
nosdigitais@debian-servidor:~$
 +
 +
 +
 +
 +
 +
 
 +
</td>
 
</tr>
 
</tr>
  
 
<tr>
 
<tr>
  <td></td>
+
  <td>[[imagem:Sistema-icon.png|40px]]</td>
  <td></td>
+
  <td>
  <td></td>
+
'''cp''' – o comando '''cp''' é usado para copiar arquivos e diretórios. Seu uso principal se dá da seguinte maneira:
 +
 
 +
# '''cp [/arquivo_de_origem] [/arquivo_de_destino]'''
 +
 
 +
</td>
 +
  <td>
 +
Vamos copiar o arquivo '''teste.txt''' que está situado na pasta '''/home/nosdigitais''' para a pasta '''/home/nosdigitais/Desktop'''.
 +
 
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# '''cp /home/nosdigitais/teste.txt /home/nosdigitais/Desktop'''
 +
 
 +
Veja que uma cópia do arquivo foi colocada em '''/home/nosdigitais/Desktop''':
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# ls /home/nosdigitais/Desktop
 +
teste.txt
 +
root@debian-servidor:/home/nosdigitais#
 +
</td>
 
</tr>
 
</tr>
  

Edição das 21h07min de 9 de agosto de 2009

Terminal konsole ativo no Debian Lenny fazendo uso do programa top

Este artigo traz uma lista de comandos básicos usados para comandar alguns dos programas essenciais dos sistemas GNU/Linux. Aprenda-os e você conseguirá usar seu sistema de modo muito mais fácil, útil e rápido, resolvendo problemas ou criando soluções para facilitar seu trabalho.

Todo comando é necessariamente uma ordem a um programa que compõe o sistema e todo comando, desde o mais simples ao mais complexo, nos sistemas GNU/Linux atua dizendo o que um determinado programa deve ou não deve fazer, daí o nome comando.

Vamos usar como exemplo o interpretador de comandos Bash. O bash é um interpretador de comandos, uma espécie de tradutor entre o sistema operacional e o usuário, normalmente conhecido como shell. Permite a execução de seqüências de comandos direto no prompt do sistema ou escritas em arquivos de texto, conhecidos como shell scripts.

O sistema usado como modelo é o Debian Lenny com interface gráfica gnome. Para usar o interpretador de comandos em um sistema com interface gráfica, você poderá proceder de três maneiras. Escolha a forma:

  • Tecle alt + F2 e digite gnome-terminal. Um prompt de comandos irá se abrir;
  • Menu do sistemas vá para “aplicações” > “acessórios” > “terminal”;
  • Tecle alt + F1(ou F2, F3...até F6. Para voltar ao modo gráfico tecle F7).


É importante lembrar que boa parte dos comandos aqui descritos só podem ser executados com permissão de root.

Você pode testar os comandos a seguir seguindo os passos de demonstração a seguir e se por ventura algo não sair como esperado, você pode solicitar ajuda no Fórum. Basta fazer o cadastro de usuário.

Legenda das Categorias dos Comandos:

Rede-icon2.png - Comandos usados para controle e/ou exibição de informações dos serviços de rede do sistema.
Terminal.png - Outros comandos diversos.
Sistema-icon.png - Comandos usados para controle do sistema e/ou para exibição de informações a respeito do atual estado do sistema.
Editor-texto90px.png - Comandos usados para controle e uso de arquivos de texto.
Usuario-e-grupos.png - Comandos usandos para controle de usuários e grupos.

Lista Comandos GNU/Linux - A-Z
Cat. Comando Exemplo de uso

Usuario-e-grupos.png

addgroup – o comando addgroup adiciona um novo grupo no sistema.

root@debian-servidor:/# addgroup teste
Adding group `teste' (GID 1003) ...
Concluído.
root@debian-servidor:/#
Usuario-e-grupos.png adduser – o comando adduser adiciona um novo usuário ao sistema.
root@debian-servidor:/# adduser jose
Adding user 'jose' ...
Adding new group `jose' (1004) ...
Adding new user `jose' (1003) with group 'jose' ...
Creating home directory `/home/jose' ...
Copying files from `/etc/skel' ...
Digite a nova senha UNIX: *****
Redigite a nova senha UNIX: ******
passwd: senha atualizada com sucesso
Modificando as informações de usuário para jose
Informe o novo valor ou pressione ENTER para aceitar o padrão
       Nome Completo []: José Silva
       Número da Sala []:
       Fone de Trabalho []:
       Fone Doméstico []:
       Outro []:
Is the information correct? [Y/n] y
root@debian-servidor:/#
Editor-texto90px.png

cat – o comando cat é usado para ler arquivos de texto. Ele imprime na tela todo conteúdo de um arquivo de texto.

root@debian-servidor:/# cat /etc/apt/sources.list
# Midia
deb cdrom:[Debian GNU/Linux 5.0.0 _Lenny_ - Official i386 DVD Binary-1 20090214-16:54]/ lenny contrib main
#Internet
deb http:// security.debian.org/ lenny/updates contrib main
deb-src http:// security.debian.org/ lenny/updates contrib main
deb http:// ftp.br.debian.org/debian lenny main contrib non-free
deb-src http:// ftp.br.debian.org/debian lenny main contrib non-free
deb-src http:// ftp.br.debian.org/debian-multimedia/ stable main
deb http:// ftp.br.debian.org/debian-multimedia/ stable main
root@debian-servidor:/#
Sistema-icon.png

cd – o comando cd muda o atual diretório de uso do prompt de comandos. Ele é usado da seguinte forma:

# cd + /nome_do_diretório

1° Exemplo – indo do diretório raiz para o diretório /home:

root@debian-servidor:/# cd home
root@debian-servidor:/home#

2° Exemplo – indo do diretório /home para o diretório /etc/init.d:

root@debian-servidor:/home# cd /etc/init.d
root@debian-servidor:/etc/init.d# 

obs: note que para ir do diretório raiz / ao diretório /home não foi necessário colocar a barra em frente ao nome home. Entretanto para ir do diretório /home ao diretório /etc/init.d foi necessário colocar barra / antes do caminho do diretório etc/init.d. Por que isso ocorre? Bem, isto acontece porque toda vez que se quer ir para um diretório localizado dentro do diretório atual do prompt não é necessário colocar a barra antes do nome do primeiro diretório.

Usuario-e-grupos.png

chfn – o comando chfn muda as informações de qualquer usuário. Para usá-lo, basta digitar:

# chfn [nome_do_usuário]

Opções:

# chfn [opção] [nome_do_usuário]

-f = muda o nome completo do usuário;
-r = muda o número da sala do usuário;
-w = altera o número de telefone de trabalho do usuário;
-h = altera o número de telefone residencial do usuário;
-o = altera o outro possível contato telefônico do usuário.

root@debian-servidor:/etc/init.d# chfn jose
Modificando as informações de usuário para jose
Informe o novo valor ou pressione ENTER para aceitar o padrão
       Nome Completo [jose]: José da Silva Sauro
       Número da Sala []: Sala 2
       Fone de Trabalho []: (11) 2424-2424
       Fone Doméstico []: (11) 2323-2323
       Outro []: (11) 9988-9988
root@debian-servidor:/etc/init.d#
Sistema-icon.png

chmod – o comando chmod altera permissões de diretórios e de arquivos. Existe três principais tipos de permissão que um arquivo pode ter. (1) Permissão de leitura, (2) permissão de escrita e (3) permissão de execução.
Existem também três concessões de permissão. (1) Permissão ao usuário criador do arquivo, (2) permissão do grupo ao qual pertence aquele arquivo e (3) permissão a todos os demais usuários.
Para usá-lo com seus atributos é possível usar tanto letras como o modo numérico-octal para permissões. O modo octal usa números de 0 (zero) a 7 (sete). O modo alfabético usa letras para designar as permissões, sendo 'r' leitura, do Inglês 'read', 'w' gravação - do Inglês 'write' e 'x' - do Inglês 'execute'.
O comando é composto por:

chmod [atributos] [nome_do_arquivo]

Atributos do modo octal:
Para arquivos (-)
0 - (zero) permissão negada
1 - permissão de execução
2 - permissão de gravação
3 - permissão de gravação e execução
4 - permissão de leitura
5 - permissão de leitura e execução
6 - permissão de leitura e gravação
7 - soma de todas as permissões

Para diretórios (d)
0 - (zero) permissão negada
1 - permissão para entrar no diretório
2 - permissão para gravar dentro do diretório
3 - permissão de entrar e gravar no diretório
4 - permissão para listar o conteúdo do diretório
5 - permissão de listar e entrar no diretório
6 - permissão de listar e gravar no diretório
7 - soma de todas as permissões

Antes de testar o comando chmod, criamos um arquivo de texto chamado teste.txt na pasta /home/nosdigitais. Com o comando ls -l podemos observar as primeiras letras que indicam quais são as permissões concedidas a esse arquivo no ato de sua criação.

root@debian-servidor:/home/nosdigitais# ls -l
-rw-r--r-- 1 root        root   0 Ago  9 01:17 teste.txt

Este arquivo possui então permissão de leitura, indicado pela letra r, e permissões de escrita, indicado pela letra w, ao usuário criador do arquivo (-rw-r--r--). E possui permissão de leitura aos integrantes do grupo ao qual pertence o arquivo (-rw-r--r--) e a mesma permissão aos demais usuários do sistema (-rw-r--r--). Vamos modificar essas permissões, deixando o arquivo com permissão total a todos os usuários do sistema.

root@debian-servidor:/home/nosdigitais# chmod 777 teste.txt

Vejamos como ficaram as permissões:

root@debian-servidor:/home/nosdigitais# ls -l
-rwxrwxrwx 1 root        root   65 Ago  9 01:17 teste.txt

Note que a linha que demonstra os atuais atributos do aquivo teste.txt contém um pequeno traço - no início para indicar que se trata de um arquivo e não de um diretório. Logo em seguida, há um conjunto de nove letras, sequencialmente dispostas.

- rwx rwx rwx

Isto significa que todas as concessões de permissão foram concedidas a todos os usuários do sistema.

A permissão de leitura r, a permissão de escrita w e a permissão de execução x foram concedidas ao criador do arquivo, ao grupo do arquivo e a todos os demais usuários do sistema.

Vamos mudar novamente as permissões deste arquivo, desta vez usando as letras ao invés dos números, dando permissão apenas de leitura a todos os usuários.

root@debian-servidor:/home/nosdigitais# chmod ugo-x teste.txt

Veja como ficaram as permissões do arquivo:

root@debian-servidor:/home/nosdigitais# ls -l
---x--x--x 1 root        root     65 Ago  9 01:17 teste.txt
Terminal.png

clear – o comando clear limpa a tela do terminal de comandos.

Ao usar o comando clear todas as mensagens escritas da tela do terminal são apagadas, ficando a tela do terminal limpa. Este comando não apaga nenhum arquivo, nenhum texto, ele apenas limpa a tela do terminal para melhorar a visualização. Veja o antes e o depois. Antes:

---x--x--x 1 root   root     0 Ago  9 01:17 teste.txt
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# oot@debian-servidor:/home/nosdigitais# cat  
/etc/apt/sources.list
bash: oot@debian-servidor:/home/nosdigitais#: Arquivo ou diretório não encontrado
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# # Midia
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# oot@debian-servidor:/home/nosdigitais# cat
/etc/apt/sources.list
bash: oot@debian-servidor:/home/nosdigitais#: Arquivo ou diretório não encontrado
root@debian-servidor:/home/nosdigitais# exit
exit
nosdigitais@debian-servidor:~$ clear

Depois:

nosdigitais@debian-servidor:~$





 
Sistema-icon.png

cp – o comando cp é usado para copiar arquivos e diretórios. Seu uso principal se dá da seguinte maneira:

# cp [/arquivo_de_origem] [/arquivo_de_destino]

Vamos copiar o arquivo teste.txt que está situado na pasta /home/nosdigitais para a pasta /home/nosdigitais/Desktop.

root@debian-servidor:/home/nosdigitais# cp /home/nosdigitais/teste.txt /home/nosdigitais/Desktop

Veja que uma cópia do arquivo foi colocada em /home/nosdigitais/Desktop:

root@debian-servidor:/home/nosdigitais# ls /home/nosdigitais/Desktop
teste.txt
root@debian-servidor:/home/nosdigitais#