Mapeamento Cultural no Brasil - Entrevista com Uirá Porã

De Pontão Nós Digitais

No intuito de aprofundar questões conceituais e técnicas sobre Mapeamento Cultural no Brasil foram realizadas uma série de entrevistas que podem ser vistas nessa wiki ao acessar a tag Mapeamento Cultural no Brasil inserida no rodapé desta página.

Essa entrevista foi concedida em meio virtual (email), na data de 13 de março de 2012.


Entrevistado: Uirá Porã


1 - Como e quando surgiu a ideia do Mapas da Rede? Você esteve desde o começo?

Uirá Porã: Não sei como surgiu a idéia, eu não participei disso. Participei da criação do MapSys, que depois serviu de base para a criação do Mapas da Rede. O Mapsys foi criado para atender a demanda da equipe de articuladores da Ação Cultura Digital que, em 2004, realizava o primeiro mapeamento dos 240 Pontos de Cultura recém selecionados no edital do mesmo ano. Além da necessidade de acessar as informações dos projetos, também havia o interesse em georeferenciar as iniciativas que estavam, durante aquele processo, sendo avaliadas para o recebimento dos 100 primeiros kits multimídia.


2 - Quanto tempo durou?

Uirá Porã: O Mapsys durou até 2005, quando foi incorporado pelo IPSO no Mapas da Rede.


3 - Quais as ferramentas utilizadas? (google maps, quem mais?) Esses desdobramentos, mapsys > mapas da rede, como se dava isso?

Uirá Porã: Tinha um framework de georeferenciamento (livre) usado pelo Mapsys, mas não lembro detalhes.


4 - Quem esteve envolvido no projeto (na gênese e no caminho)? Tecnicamente, conceitualmente ou não.

Uirá Porã: Muita gente. principalmente as equipes de desenvolvimento e de mapeamento, à época, da Ação cultura digital.


5 - Como e por quanto tempo você esteve envolvido no projeto?

Uirá Porã: De sua criação, até hoje. Ainda estou envolvido ;)


6 - Quais eram as implicações disso em termos de fomentar o ações em rede?

Uirá Porã: Permitir ver e ser visto.


7 - Qual foi a abrangência? Em termos de números e/ou de representatividade para o que se propunha.

Uirá Porã: Não sei dizer.


8 - O mapas vislumbrava ser um espaço para fazedores culturais, para além de pontos de cultura? ou não necessariamente?

Uirá Porã: O mapas eu não sei, mas o mapsys, certeza que sim.


9 - Em face da falta de atualização de dados, pergunto: na sua concepção o projeto está descontinuado?

Uirá Porã: sim.


10 - Quais foram os maiores sucessos e as maiores dificuldades do projeto Mapas da Rede?

Uirá Porã:


11 - Você conhece outras experiências de plataformas (brasileiras ou não) cujo escopo esteja ou esteve próximo de mapeamentos culturais, mapeamentos de ações/espaços/serviços culturais? Essa pergunta abrange desde coisas como mapas da rede (mapsys) até catraca livre, passando por mapeamentos localizados, tipo formulários de google docs que alguém, em alguma rede estadual de pontos, ou até mesmo um pontão de cultura, tenha usado para mapear informações de pontos de cultura.


Uirá Porã: Conheço demais. Veja essas: